Uma série de organizações e movimentos populares convocaram manifestações para a próxima terça-feira (5). Protestos já foram agendados em diversas cidades do país tendo como mote o repúdio às declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), que defendeu a possibilidade de repetir a edição de medidas que compuseram o Ato Institucional nº 5 (AI-5).

132354.png” rel=”shadowbox[gb]”>132354.png” alt=” ” />
Cecília Bastos/USP Imagem

 

Mesmo após a desautorização pública do presidente da República e o recuo do próprio Eduardo em relação ao tema, as entidades entendem ser necessário repudiar as seguidas posturas de integrantes do governo federal e políticos próximos que flertam com o autoritarismo. Nas redes sociais, a convocatória foi feita através da hashtag #5NcontraAI5.

As palavras de ordem “Basta de Bolsonaro!” e “Justiça para Marielle” também têm sido utilizadas para a mobilização, que já tem protestos marcados em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Natal, Belo Horizonte, Goiânia, Fortaleza e Belém.

“Defender um dos períodos mais sombrios e uma das práticas mais sanguinárias da História brasileira não é só um desrespeito à memória do Brasil, mas um crime. O povo vai às ruas contra essa atitude”, defendeu a Fundação Perseu Abramo.

A Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) afirmou que as atitudes e declarações merecem o repúdio de todas os setores contrários ao recrudescimento da política em nosso país: “É preciso unir todas as forças sociais que defendem a democracia para derrotar a família de aprendizes de tiranos que governa o país. Com a democracia não se brinca!”.

Os protestos no 5 de novembro ganharam também o apoio das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, além de parlamentares da oposição ao governo Bolsonaro.

Vermelho, 04 de novembro de 2019